POLICIAL

[POLICIAL][threecolumns]

POLÍTICA

[POLÍTICA] [threecolumns]

ANUNCIANTES

Davi e Jônatas, homossexuais?




Nota: Este autor, embora de orientação heterossexual, repudia discriminações à opção sexual alheia. As linhas que se seguem visam tão somente demonstrar que o homossexualismo rejeitado pela maioria de nós e abominado pelos cristãos pode ter sido a opção sexual de um dos seus maiores exemplos de fé.

Muito se ouve dizer sobre grandes vultos históricos como Alexandre o Grande e Nero sendo homossexuais, assim como o guerreiro grego Aquiles e até mesmo Hitler. Mas pouco se ouve falar que uma importante personalidade bíblica, exemplo de fé entre judeus e cristãos, tenha optado pela homo ou bissexualidade. Em I Coríntios 6.9, o apóstolo Paulo declara que efeminados (homens com trejeitos de mulher) e sodomitas (praticantes de relação sexual anal, tanto hetero como homossexuais) não herdarão o reino de Deus. E em Romanos 1.26 e 27 o mesmo Paulo deixa implícito que homossexuais serão castigados devido à esta opção. Mas o que diria o grande rei Davi acerca destas afirmações que não pôde conhecer por ter morrido séculos antes do nascimento de Paulo?

Amor à Primeira Vista

Pelo que parece, a iniciativa foi do coadjuvante Jônatas, filho do rei Saul que precedeu a Davi no reinado. Diz o autor de I Samuel que o rei Saul chamou à sua presença a Davi, ainda apenas um jovem guerreiro, devido aos seus grandes feitos em combate e por ter matado o gigante Golias. Nesta ocasião Jônatas, ao ter visto pela primeira vez Davi, o amou: “Ora, acabando Davi de falar com Saul, a alma de Jônatas ligou-se com a alma de Davi; e Jônatas o amou como à sua própria alma” (I Samuel 18.1). De qualquer forma alguém poderia dizer que tratou-se de um sentimento parecido ao de um torcedor de futebol ao ver pessoalmente pela primeira vez o seu ídolo, mas os textos que seguem parecem revelar algo mais.

Por que Saul Quis Matar Davi?

“Falou, pois, Saul a Jônatas, seu filho, e a todos os seus servos, para que matassem a Davi. Porém Jônatas, filho de Saul, estava muito afeiçoado a Davi.” (I Samuel 19.1). Segundo o autor bíblico, depois de um tempo o rei Saul passou a desejar a morte de Davi porque estava com ciúmes de sua veneração pelo povo. Porém é estranho Saul, depois de estar ciente da popularidade de Davi e de recebe-lo na família casando-o com a própria filha Milca, deseje a morte do genro. No entanto, uma lida atenciosa dos textos posteriores, pode elucidar o caso: “Então se acendeu a ira de Saul contra Jônatas, e ele lhe disse: Filho da perversa e rebelde! Não sei eu que tens escolhido a filho de Jessé (Davi) para vergonha tua, e para vergonha de tua mãe?” (I Samuel 20.30). Embora se interprete que a escolha de Jônatas seja a de Davi como rei, o contexto não demonstra apenas isso. O trecho “para vergonha tua, e para vergonha de tua mãe” não tem sentido se a irritação de Saul fosse somente pela perda do reinado, mas fica claro se for considerada a homossexualidade de Jônatas, o que era considerado extrema vergonha para uma mãe que passou nove meses gerando um homem. Se a abominação à homossexualidade dos filhos é comum nos pais atuais, o sentimento de vergonha era mais intenso nos pais das sociedades primitivas extremamente machistas dos tempos bíblicos. Provavelmente a decepção de Saul foi dobrada porque não só descobriu que o filho era homossexual, mas também porque este se envolvia com seu genro Davi ao qual recebeu com toda hospitalidade em sua família. Deve-se observar aqui que não se pretende aprovar a deliberação de Saul em matar a Davi, mas demonstrar o que o motivou.

A Despedida

Por um tempo Jônatas conseguiu convencer seu pai a não matar Davi, mas Saul voltou a se indignar com Davi que fugiu. Jônatas vai escondido ao encontro dele para despedir-se: “... beijaram-se um ao outro, e choraram ambos, mas Davi chorou muito mais.” (I Samuel 20.41). Alguns especialistas dizem que a ultima parte deste texto é de difícil tradução e poderia ser traduzida também como: “mas Davi se excedeu”. Desta forma Davi pode ter dado mais do que beijos em Jônatas, fazendo também carícias que podem ser confirmadas pelas saudosas palavras de Davi: “Angustiado estou por ti, meu irmão Jônatas; muito querido me eras! Maravilhoso me era o teu amor, ultrapassando o amor de mulheres.” (II Samuel 1.26). É remota a possibilidade de um heterossexual, movido pela saudade, vir a dizer que o amor de seu amigo ultrapassa o amor das mulheres.


ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
A N U N C I E A Q U I
ANUNCIE AQUI!