POLICIAL

[POLICIAL][threecolumns]

POLÍTICA

[POLÍTICA] [threecolumns]

ANUNCIANTES

2 Dedos de prosa com Sandro Vespasiani

Terminado o discurso sobre a Cooperativa, vamos mudar de assunto e “assuntaremos” o problema  religioso a respeito da Igreja de Jesus Cristo, quem a fundou, para que serve etc. etc..

Não aguento mais tanta confusão, tantas conversas erradas, tanta exploração sobre este argumento.

Quando teve a oportunidade de usar a radio Abelha Dourada, entrei neste tema, mas a Radio é uma ‘voz’ e a voz, o vento leva, ainda mais que naquela época os ouvintes não pediram esclarecimentos; agora os leitores tem novamente uma oportunidade através do setor dos comentários.

Não sou doutor, nem sabichão, nem mestre; sou simplesmente um cristão e padre e embora tenha pouca fé, esta pouca quero pôr em comum com os leitores e juntos conversarmos sobre um assunto que acho de suma importância e nesta conversa estou certo que a minha fé será ajudada e fortalecida pela fé dos outros, com a ajuda do Pai do Filho e do Espírito Santo.

A Palavra de Deus será a nossa guia; a historia dos acontecimentos, estudada sem preconceitos, nos ajudará a compreender os fatos, sobre este assunto, no decorrer dos tempos até hoje.

Estou certo que chegaremos a um bom porto porque o nosso Pai quer que cheguemos ao porto que é Ele.

Como veremos, fomos avisados sobre as realidades das quais somos atuais testemunhas. “Porque virão muitos em meu nome, dizendo: eu sou o Cristo, e enganarão a muitos. (Mt. 24. 5). Aquele, porem, que perseverar até o fim, esse será salvo.(Mt. 24. 13).

Cristo não fez, nem disse coisas para sermos confundidos, ficarmos em duvidas ou, enrolados.

As coisas que o nosso Pai nos deixou são para chegarmos a Ele, sem confusão nem possibilidade de errar, embora sejam feitas e ditas para ficarmos ‘livres’ na nossa escolha; Ele não quer ser Pai de escravos, mas de filhos livres, conscientes, satisfeitos, alegres.

Umas das palavras que Cristo disse me ressoam constantemente nos ouvidos: “homens de pouca fé”.

É isso o problema principal: a nossa pouca fé. Eu diria ainda que o problema é também o pouco conhecimento que temos sobre as realidades de Deus e basta um papo bonito para nos confundir.

Fomos batizados, escolhemos seguir Cristo e renunciar a Satanás, mas na realidade no nosso dia a dia, ainda temos medo de “realizar” esta escolha ate o fim. Somos indecisos, temos medo, e as realidades deste mundo nos iludem de mais, embora todos os dias a presença da “comadre morte” nos lembre de que não somos “deste mundo”. O engraçado é que com a boca a gente diz: ’viemos para passar uma chuva’; na realidade não queremos que a “chuva” passe.

Alem dos nossos pais que geraram o nosso corpo material, temos Outros que geraram o nosso espírito, a Trindade Santa, da qual viemos e a qual nós voltaremos, “se o quisermos” e “acertarmos o caminho”.

Iremos ver que depois “desta prova” Jesus Cristo irá fazer, como Ele disse: “céus novos e terras novas” com aqueles e para aqueles que O escolheram.

Os outros, podem ficar aonde quiserem e com “quem” quiserem a segunda das escolhas feitas.

Um abraço a todos e que o Espírito Santo nos guie para acertarmos os caminhos que Ele nos indicar.

Á vossa disposição, pe. Sandro
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
A N U N C I E A Q U I
ANUNCIE AQUI!