Top Ad 728x90

TV ITIÚBA/ITIUBENSE

15 de abril de 2017

, ,

Daniel Almeida é suspeito de corrupção passiva, ativa e lavagem de dinheiro na Delação da Odebrecht:


Inquérito diz que deputado do PC do B-BA recebeu, em 2012, R$ 300 mil não registrados para favorecer Odebrecht. Parlamentar afirma ter 'total convicção que o destino será o arquivamento'.


O deputado federal Daniel Almeida (PC do B-BA) é suspeito de corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, tendo recebido um repasse não registrado em R$ 300 mil em 2012 para favorecer a Odebrecht, segundo inquérito autorizado pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).

A respeito do inquérito, o parlamentar afirmou: "Sobre as notícias citando o meu nome em possível investigação no STF, não tenho nada a temer. Os baianos e os brasileiros conhecem minha trajetória de mais de 30 anos de atividade pública. Se algum inquérito for aberto, tenho total convicção que o destino será o arquivamento".

Fachin autorizou as investigações a partir do pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. A PGR fez o pedido com base nas delações dos ex-executivos da Odebrecht.

De acordo com um dos delatores, não identificado no inquérito, o repasse de R$ 300 mil foi recebido por Daniel Almeida na campanha do candidato Isaac Carvalho à prefeitura de Juazeiro (BA).

O mesmo delator afirmou que a Odebrecht tinha interesse em realizar obras de saneamento naquele município. Já outros delatores, também não identificados, disseram que, em outra ocasião, o parlamentar recebeu R$ 100 mil, pagamento que teria sido feito em um posto em Salvador. O inquérito informa que esse pagamento também não foi registrado.

G1

0 Comentários:

Postar um comentário

COMENTE AQUI!!!

Top Ad 728x90